Posts Em Destaque

1º PASSO PARA EXERCER A GESTÃO PARTICIPATIVA

Dando seguimento ao texto anterior do Blog, vamos falar hoje sobre o 1º passo para exercer a gestão participativa.

Este primeiro passo é sem sombra de dúvidas, importantíssimo: conhecer sobre pessoas e também a si mesmo. Saber identificar as diferenças nos comportamentos, nas formas de agir, sentir e pensar de cada um.

A maioria de nós e, por conseguinte também os líderes, podemos achar que nos conhecemos de verdade. Alguns de nós, já estamos há anos trilhando o caminho da evolução pessoal e alguns, ainda no início deste longo e árduo caminho a trilhar.


É claro, que existem pessoas e líderes que já tem uma percepção muito boa de si mesmos e acabam muito próximos de se conhecerem de verdade. E outras, como eu mesma fui há alguns anos atrás, estão no patamar de “achar” que se conhecem bem. Mas, vindo a conhecer a ferramenta INATHU, percebi o quanto eu estava longe da descoberta sobre quem eu realmente sou.


Então, antes de responder se você se conhece bem, procure fazer um inventário de suas características pessoais, tanto no lado positivo, ou seja, suas habilidades naturais, sua natureza inata. E não menos importante para se entender de verdade, liste também suas inabilidades. Aquilo em que você não é tão bom! Vai perceber, com toda certeza, que será mais fácil falar de suas habilidades e terá mais dificuldade para falar sobre o que você precisa melhorar.


Levando este tema para à luz dos GNIs- Grupos Naturais de Inteligência, podemos entender que alguns têm um excelente poder de observação/percepção sobre si mesmos e sobre os outros. Já alguns GNIs, têm o foco em outras habilidades e acabam não tendo esta percepção.


Imagine você, líder que não se conheça tão bem, como vai poder tirar o melhor dos talentos humanos que estão ao seu lado, se talvez ainda não consiga percebê-los?


Às vezes é até mais fácil perceber aos outros, do que a si mesmo. Mas a tarefa precisa começar por nós mesmos, para daí então podermos observar, orientar, ajudar e capacitar nossa equipe de trabalho.


Perceber as características naturais da equipe, faz com que muitos conflitos se dissipem rapidamente, pois você saberá como lidar com cada membro de sua equipe e poderá identificar qual a melhor saída para sanar as dificuldades/problemas.

Fazer gestão de pessoas envolve muito disto: se conhecer de verdade e aprender a conhecer e respeitar a individualidade dos outros. E como resultado, além de você ter realmente sua equipe em foco, você terá pessoas ao seu redor que irão lhe admirar por ser e fazer diferente: não usando apenas de atitudes iguais para pessoas diferentes. E sim, partindo sempre da diferença que existe entre as pessoas e que estas podem ser sim, muito importantes na construção de equipes mais dinâmicas e coesas.


No próximo texto aqui do Blog, falaremos sobre o 2º passo.


Até lá.





Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square